Cerca de seis dezenas de flavienses marcaram presença no almoço de aniversário do Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves, que decorreu no sábado passado, dia 18, na Quinta do Rebentão.

Presente na cidade há 43 anos, o Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves é um dos principais impulsionadores do turismo na região do Alto Tâmega que, graças ao seu trabalho, recebe, todos os anos, vários visitantes. Só em setembro deste ano a cidade flaviense acolheu cerca de 200 campistas, oriundos de todo o país e da vizinha Espanha, a propósito do primeiro acampamento da Eurocidade Chaves-Verin. Para além disso, têm representado a cidade em várias atividades organizadas por todo o país e fora dele.
Para o presidente do clube são anos de muito trabalho, de dedicação, mas são, sobretudo, muitos anos de camaradagem. Apesar dos bons momentos passados à frente do Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves, Albano Gomes admite que “já é muito tempo” e que gostaria que alguém tomasse conta do seu lugar.
“Nós temos sede própria, é uma coletividade com fundo financeiro, é um clube que não anda constantemente pendurado na autarquia ou em quem quer que se seja. Tem os seus associados e continuamos a marcar a nossa posição na cidade e na região”, destacou.
Em dia de aniversário, o presidente do Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves fez questão de lembrar alguns dos sócios e membros da direção já falecidos, como é o caso de Emílio Macedo e Sousa, um dos fundadores do clube, de João Lopes e de Luís Canavarro.
“Foram companheiros que partilharam connosco a amizade, o companheirismo e vários momentos bons que tivemos no campismo”.
Durante o almoço, o clube premiou ainda com uma medalha os sócios que completaram 25 anos de filiação: Eduardo Brás, José António Fernandes, Artur Cruz e Domingos Barreira.
Neste dia, o presidente do clube flaviense deixou uma palavra de apreço a todos os sócios pela participação contínua e sobretudo pelo apoio na preservação dos ideais campistas.
Há muitos que “gostam e que continuam a participar nos convívios que organizamos, nos passeios pedestres e em outras atividades. Muitos deles já não acampam, mas durante muitos anos fizeram-no, e mesmo assim continuam ligados ao clube, porque este foi sempre o clube do seu coração”, referiu.
Para além dos cerca de 60 sócios, estiveram igualmente presentes os membros da direção do Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves e o vice-presidente da autarquia flaviense.
Francisco Melo elogiou o trabalho desenvolvido pelos dirigentes e sublinhou o dinamismo do clube que ano após ano organiza várias atividades que fortalecem a amizade e o carinho entre os seus associados.
Para além disso, “contribuem para trazer muita gente a Chaves e levam também o nome da cidade a outras terras”. Neste contexto, na opinião do vice-presidente da autarquia, o Clube de Campismo e Caravanismo de Chaves é uma mais-valia para o turismo em toda a região e continuará a ser apoiado.
Relativamente ao parque de campismo da Quinta do Rebentão, Francisco Melo adiantou que “uma das áreas, na zona envolvente do parque, foi concessionada”, a uma empresa privada, para a criação de um parque de aventura. Esta concessão foi ainda realizada pelo anterior executivo camarário.
Atividades radicais vêm assim complementar as ofertas já existentes, como é o caso da “piscina, dos percursos pedestres e da reserva de animais”.
“Esta infraestrutura, embora de exploração privada, irá contribuir para fomentar um conjunto de atividades junto dos campistas e ao mesmo tempo poderá levar a que mais jovens adiram”.
De acordo ainda com Francisco Melo, o parque de aventura poderá estar a funcionar no verão do próximo ano.
Depois do almoço foram cantados os parabéns e cortado o bolo de aniversário. Ainda no convívio foram servidas as belas das castanhas assadas e a jeropiga.

Cátia Portela

loading...
Share.

Deixe Comentário