A Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega (CIMAT), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte e o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros assinaram, na passada segunda-feira, dia 11 de junho, no Porto, um protocolo que visa “aumentar os níveis de conhecimentos financeiros da população”.

O protocolo assinado enquadra-se no Plano Nacional de Formação Financeira, lançado em 2011 pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, que é composto pelo Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundo de Pensões.
O objetivo é “aumentar o nível de conhecimento da população”, explicou Elisa Ferreira, Vice-Governadora do Banco de Portugal. De acordo com a responsável, “as pessoas não sabem exatamente o que é que estão a contratualizar, a maior parte não faz um planeamento daquilo que recebe e daquilo que vai gastar, não sabe o que são despesas dispensáveis e o que são despesas indispensáveis, ou o que é um contrato que obriga a uma prestação fixa ou variável”.
As iniciativas de formação financeira previstas abrangem o planeamento e gestão do orçamento familiar, contas a depósito, serviços de pagamentos e serviços mínimos bancários, contas de depósito a prazo, contas de títulos e produtos de investimento, características e riscos associados, planos de poupança, fundos de pensões, crédito à habitação e crédito aos consumidores, seguros e prevenção de fraude.

Capacitar os cidadãos do Alto Tâmega

Segundo Fernando Queiroga, presidente da CIM do Alto Tâmega, que abrange os concelhos de Boticas, Chaves, Montalegre, Ribeira de Pena, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar, a assinatura deste protocolo, que visa a formação em matéria financeira, “insere-se num objetivo primordial da CIM que passa por capacitar os cidadãos do Alto Tâmega, promovendo o seu conhecimento em diversas áreas. Neste caso concreto, na área financeira.”
Desta forma, as campanhas de sensibilização visam transmitir “mensagens simples sobre os temas financeiros previstos, tendo em vista alertar a população, desde os mais jovens aos mais idosos, para esses assuntos e contribuir para a melhoria de atitudes e comportamentos financeiros”.
Após uma formação inicial de formadores em cada autarquia, prevê-se que em setembro iniciem as campanhas de sensibilização e formação para a população do Alto Tâmega

loading...
Share.

Deixe Comentário