O Teatro Experimental Flaviense foi distinguido pelo Inatel pelas ações e projetos desenvolvidos em benefício da sociedade.

O Teatro Experimental Flaviense (TEF), presente na cidade de Chaves há 37 anos, foi uma das coletividades premiadas na “Gala Reconhecer” do Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres (Inatel), que se realizou no dia 21 de novembro, no Teatro da Trindade, em Lisboa.
O reconhecimento, que visa diferenciar associações ou pessoas individuais que se destacaram na sociedade portuguesa em causas sociais, pretendeu distinguir o projeto “TEF Social”, que combate o isolamento da população mais idosa do concelho flaviense. Neste contexto, desde outubro de 2016 que o TEF tem desenvolvido várias atividades culturais que se destinam às pessoas da terceira idade. Exibição de filmes, apresentação de espetáculos e promoção de atividades artísticas são algumas das iniciativas levadas a cabo pela coletividade.
O reconhecimento foi recebido por Rufino Martins, presidente do TEF, durante a cerimónia presidida por Francisco Madelino, presidente da Fundação do Inatel, que elogiou e agradeceu as iniciativas desenvolvidas pelas associações e pelas entidades individuais que vão ajudando a construir o país, através da promoção cultural, desportiva e social das regiões onde se inserem.
Para o presidente do TEF “este reconhecimento é mais um dos que têm prestigiado o Teatro Experimental Flaviense ao longo destas quase quatro décadas de atividade contínua”, em áreas como o teatro, cinema, animação e formação.
De realçar que o projeto “TEF Social” obteve, recentemente, a importante colaboração do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), tutelada pelo Ministério da Cultura, e que tem como objetivo promover e financiar as atividades cinematográficas e do audiovisual em Portugal.
A par da oferta na área do cinema e dos espetáculos realizados na cidade flaviense, o grupo de atores, animadores e técnicos do Cine Teatro Bento Martins tem realizado inúmeros espetáculos nos mais diversos pontos do país sob a chancela da Fundação do Inatel. Mas a parceria com esta instituição nacional não se fica por aqui: através da Fundação Inatel, o TEF participou em vários festivais regionais e nacionais, nas jornadas culturais da Máscara, em colóquios, bem como no primeiro congresso nacional do Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres. Foi também através desta instituição que os responsáveis do TEF conheceram Bento Martins, que mais tarde viria a dar nome ao espaço cultural. Também por aqui passaram Ruy de Matos, na altura do Teatro Nacional, que tal como Bento Martins, contribuíram para o desenvolvimento da coletividade ao nível do teatro. As peças “Antígona” e a lenda de “Maria Mantela” foram outros dos grandes espetáculos realizados pelo TEF e que contou com o apoio do Inatel.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário