A fadista Carminho, os portuenses Dealema e o grupo de rock Linda Martini são alguns dos nomes que integram o cartaz das Festas de Verão da cidade de Chaves que arrancam já no próximo dia 30 de junho.

O verão está aí à porta e com ele vêm as boas temperaturas e a vontade de sair à rua. É a pensar precisamente nesta altura do ano que o município de Chaves tem já preparado um vasto programa de eventos que convidam os flavienses a aproveitarem até ao último raio de sol.
A agenda foi apresentada na segunda-feira, dia 12, em conferência de imprensa pelo presidente da autarquia e pelas empresas parceiras, no Jardim Público.

Este “cartaz poderia ser apresentado em qualquer cidade do país, inclusive na cidade de Lisboa” porque “a qualidade é realmente grande e orgulha qualquer cidade”, começou por dizer o presidente da autarquia, António Cabeleira. “A dificuldade será manter este nível nos próximos anos”, constatou o líder.

A cidade começa já a fervilhar no dia 30 de junho. No primeiro dia de arranque das Festas da Cidade, que decorrem até ao dia 9 de julho, realiza-se o sunset “Fade Out”. As pessoas são assim convidadas a assistir ao espetáculo de música eletrónica que acontecerá nos jardins do Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, durante a tarde e também à noite. A cantora Carminho estará na cidade flaviense no Dia da Cidade, a 8 de julho, para um concerto memorável, numa conjugação perfeita entre a voz da fadista e os sons da guitarra portuguesa. O espetáculo acontece nos jardins do Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, pelas 23h.

Entretanto, durante a semana dedicada às Festas da Cidade irão realizar-se diversos concertos, tanto no Largo General Silveira, como na Praça de Camões. Haverá animação de rua pelo centro histórico e outras atividades.
José Ribeiro, técnico da Câmara de Chaves, adiantou que vão estar envolvidos nas Festas da Cidade cerca de 640 artistas locais.

De acordo com o mesmo responsável, o projeto cultural e artístico da câmara assenta na sustentabilidade dos eventos e para isso têm sido formados grupos que têm ajudado a criar eventos na cidade ao invés de os trazer de fora.

“Só para terem uma ideia, no ano passado fizemos 152 eventos e espetáculos, ou seja, de dois em dois dias está a acontecer qualquer coisa em Chaves e os custos têm sido mais reduzidos através das parcerias que se criam entre os grupos e as associações”, frisou.

Em agosto, o Festival Identidades regressa ao Jardim Público juntamente com a mostra “Sabores de Chaves – Pastel”. Entre os dias 3 e 6, o Pastel de Chaves é o rei do certame gastronómico que acompanhado de outras iguarias locais fará as delícias dos visitantes. Paralelamente, realiza-se o festival de música folk que trará até à cidade mais de uma dezena de grupos de referência nacional e internacional como é caso de Celina da Piedade, OqueStrada, Terrakota e Trad.Attack.

À frente da organização do festival, Marcelo Almeida, do projeto Enraizarte, contou que o objetivo é continuar a trazer algumas das referências do panorama musical folk tendo sempre em conta o binómio qualidade/preço. Outros dos objetivos passa por “tornar a cidade mais apelativa e mais completa a nível cultural” para que no futuro os flavienses não precisem de sair da cidade para assistir a bons concertos.

Questionado sobre o valor investido no festival, o flaviense adiantou que existe uma espécie de rede de “trocas de concertos” que faz com que se consiga poupar nas despesas gerais.
Já os Linda Martini, Paus e Dealema irão atuar na primeira edição do Festival Geração que acontece nos dias 11 e 13 de agosto, no Jardim Público. No mesmo local irá decorrer a Festa da Cerveja Artesanal. Os concertos arrancam às 22h.

O objetivo, disse Diogo Martins dos Indieror, passa por “pôr as bandas a mexer e a tocar” revivendo um bocadinho o espírito do “Rock Casino” que existiu durante alguns anos.
A cereja no topo do bolo dá-se com a realização da Festa dos Povos em Aquae Flaviae, quarto e último evento de verão. O certame está agendado para os dias 18, 19 e 20 de agosto, na Alameda do Tabolado e Alameda de Trajano, na zona das caldas. Durante estes dias, a cidade de Chaves viajará no tempo para regressar ao Império Romano. Serão três dias de grande animação retratando o quotidiano da época.
A quinta edição do certame “irá continuar na senda dos anos anteriores”, disse o engenheiro França da Câmara de Chaves.

A Junta de Freguesia de Santa Maria Maior também vai organizar um conjunto de eventos de animação no centro histórico da cidade, no último fim de semana de agosto, seguindo-se no terceiro fim de semana de setembro as festividades em honra de Nossa Senhora das Graças.

A autarquia flaviense espera conseguir atrair perto de 150 mil visitantes durante as Festas de Verão 2017.
Todas as iniciativas são gratuitas e a organização é da responsabilidade do município de Chaves, com o apoio e colaboração da EHATB – Empreendimentos Hidroelétricos do Alto Tâmega e Barroso, Academia de Artes de Chaves, Projecto Enraizarte e Associação INDIERROR.

Cátia Portela

Share.

Deixe Comentário