Na tarde de domingo, dia 16 de julho, na Alameda de São Roque, em Chaves, decorreu a apresentação dos candidatos autárquicos pelas listas do PSD, com a presença de Luís Marques Mendes. O candidato à Câmara Municipal de Chaves, António Cabeleira, na sua intervenção, salientou que o seu projeto para o concelho assenta “nas pessoas, território e desenvolvimento”.

António Cabeleira

A apresentação pública dos candidatos autárquicos pelas listas PSD de Chaves iniciou pelo anúncio do mandatário da candidatura Emílio Macedo seguindo-se cada um dos candidatos às juntas de freguesia, os elementos que compõem à lista à Assembleia Municipal, encabeçada por Francisco Taveira, e a lista à Câmara Municipal de Chaves, liderada por António Cabeleira, seguindo-se Carlos Penas, Manuela Tender, João Neves, Carlos Gonçalves, Maria Clotilde Tomás, Pedro Campos, Maria José Alves, Marco Silva, Maria Helena Salvador, José Carlos Conceição, Mariana Esteves, Albino Leitão e Francisco Viegas.

Som o lema “por Chaves sempre”, António Cabeleira começou por afirmar que “imbuídos de um profundo sentido de responsabilidade e de missão, apresentamo-nos disponíveis para «Servir Chaves», assumindo o compromisso de continuar a governar Chaves com verdade, integridade e humanismo”, salientando que “o projeto que queremos assenta em três vetores essenciais: as pessoas; o território; e o processo de desenvolvimento”.

A pensar nas pessoas, desde a educação, passando pela cultura, para os mais jovens e para os mais desfavorecidos, anunciou várias medidas que “queremos ver implementadas”, entre as quais, a requalificação “do parque escolar, participar ativamente na criação da Escola Superior de Hotelaria e Termalismo da Eurocidade Chaves-Verin e pugnar pelo reforço do número de cursos do IPB”.

Ao nível da cultura, salienta-se “a dinamização da matriz local”, com a organização de eventos, e a aposta em equipamentos culturais, tais como a “Musealização das Termas Romanas; a implementação na Quinta da Freixeda em Vidago de um museu etnográfico e de um centro interpretativo para o Mundo Rural”.

Francisco Taveira

No desporto, salientou António Cabeleira, “o nosso compromisso é estabelecer a necessária cooperação, numa lógica de complementaridade e sustentabilidade”, anunciando a construção de novos equipamentos desportivos, tais como “uma nova Piscina Municipal; um Pavilhão Desportivo na Escola Nadir Afonso, e o Parque Urbano Desportivo”.

Para os mais jovens, referiu o candidato, “queremos criar condições para fixar população jovem, promovendo uma agenda para novas competências e emprego, concursos para jovens criadores e políticas para habitação jovem, através da reabilitação urbana”.

Ao nível social, “queremos continuar a dinamização de políticas de ação social”, tais como “a valorização do papel das IPSS, dar uma atenção especial para as pessoas portadoras de deficiência e o apoio adequado para os grupos sociais mais desfavorecidos”, no seguimento de medidas já tomadas, tais como a criação “do cartão de famílias numerosas, a tarifa social da água, o apoio às famílias com cidadãos portadores de incapacidade e o aumento de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino superior”

Na vertente do “território”, referiu António cabeleira, “vamos continuar a valorizar o território através de um planeamento integrado e sustentável”, anunciando algumas medidas a ser implementadas, nomeadamente na “valorização do Centro Histórico, requalificação da rede viária municipal e arruamentos nas aldeias”. A nível ambiental, entre outras medidas, “queremos classificar a zona dos “lagos” do rio Tâmega, como uma área de paisagem protegida, fazer da Quinta do Rebentão um grande parque botânico e queremos que os espaços verdes públicos contribuam para sustentar e organizar a malha urbana”.

Quanto ao “processo de desenvolvimento”, “daremos particular atenção à agricultura e desenvolvimento rural, promover a comercialização dos produtos tradicionais através das feiras “Sabores de Chaves”. Já ao nível do turismo, “queremos implementar um Plano de Ações para a Promoção do Turismo”, pretendendo, entre outras ações, “fazer de Chaves um destino termal de excelência, valorizando as Caldas de Chaves, as Termas de Vidago e o aproveitamento termal das águas de Vilarelho da Raia.”

Emílio Macedo

Ao nível da indústria, “continuaremos a dar incentivos à implementação dos Projetos de Interesse Municipal e dinamizaremos o Gabinete para a Promoção do Investimento. Entendemos como fundamental o fomento do empreendedorismo e dinamização de atividades económicas”, pois “acreditamos que com a nossa ação se abrirão novas perspetivas de emprego pela atração de investidores, num contexto sustentável e duradouro”.
Sobre a cooperação, entre outras, António Cabeleira referiu que “queremos reforçar o relacionamento com as freguesias, partilhando competências e aumentando a capacidade de intervenção e respostas às expetativas dos cidadãos.”.

A concluir, o candidato referiu que “a ação política é, antes de mais, agir em benefício das pessoas, das famílias, onde ninguém seja excluído de uma vida com dignidade. Queremos um concelho a progredir ao mesmo ritmo. Um concelho em que a cidade, as vilas e as freguesias, os seus presidentes e todos os habitantes se sintam, antes de mais, flavienses de corpo inteiro: Porque a nossa bandeira é uma só: Chaves e só Chaves!”

Paulo Chaves

 

Share.

Deixe Comentário