Na sexta-feira, dia 14 de julho, na Quinta do Príncipe, em Chaves, decorreu a apresentação dos candidatos autárquicos pelas listas do PS, com a presença de José Luís Carneiro, da direção nacional. O candidato à Câmara Municipal de Chaves, Nuno Vaz, na sua intervenção, salientou que “está na hora de devolver a esta terra a energia, a vida e a relevância regional que teve outrora”.

Nuno Vaz

A apresentação pública dos candidatos autárquicos pelas listas do PS de Chaves decorreu durante um jantar convívio, onde foram apresentados os candidatos às juntas de freguesias, o primeiro candidato da lista à Assembleia Municipal, Altamiro Claro, e a lista à Câmara Municipal de Chaves, liderada por Nuno Vaz, seguindo-se Francisco Melo, Paula Chaves, Victor Santos, Nuno Coelho Chaves, Fátima Correia, Sandra Tavares, Nicolau Santos Silva, Armindo Fonte, Eugénia Carneiro, Joaquim Chaves, Alice Magalhães, Francisco Morais Vaz e Luís Areias Fontes. José Flávio Videira é o mandatário da candidatura do PS.

Agradecendo o “apoio e a manifestação de confiança” expressa por cada um dos presentes, Nuno Vaz, na sua intervenção, começou por referir que “imbuído de um profundo sentido de responsabilidade e de missão, apresento-me disponível para ser o primeiro de muitos ao serviço de Chaves e dos flavienses”.

Sob o lema “Acordar Chaves”, para o candidato, está na hora de “devolver a esta terra a energia, a vida e a relevância regional que teve outrora”, pois “vamos fazer o bem, vamos fazer bem à nossa terra e à nossa gente”.
Para Nuno Vaz, “já chega de destruir recursos, de fazer e desfazer, como foram as obras do Jardim das Freiras, do Campo da Feira e do Museu Nadir Afonso. Chega de gastar dinheiro em obras desnecessárias como são as que pretendem realizar no Jardim do Bacalhau. Chega de obras adiadas, como são uma piscina coberta, um pavilhão multidesporto e um grande pavilhão multiusos. Chega de incompetência na captação de investimento produtivo, como foi o caso da Faurecia: criou 400 postos de trabalho em Bragança em vez de o fazer em Chaves. Chega de andar para trás”.

Confiante na qualidade dos candidatos das listas do PS, Nuno Vaz referiu-se, ainda que sumariamente, ao seu programa eleitoral, assente em objetivos prioritários. O primeiro prende-se com a “captação de investimento e promoção do emprego, com especial enfoque na dinamização de instrumentos públicos municipais”, tendo apresentado algumas medidas concretas, entre as quais “o apoio aos empresários, quer de natureza fiscal, como sejam IMI, IMT e taxas municiais no domínio do urbanismo e da ocupação do domínio público; possibilidade e estabelecimento de parcerias com investidores privados, especialmente no turismo e no termalismo; e constituição de fundo municipal, com dotação anual de 250 mil euros, destinado a alavancar financeiramente projetos de jovens empreendedores”.

Altamiro Claro

Outro objetivo prioritário é a “aposta na inovação e na modernidade de atividades e sectores tradicionais”, salientando, entre outras medidas, a “afetação do edifício do antigo magistério a “espaço criativo multifuncional”, no qual os jovens licenciados ou pós licenciados, podem desenvolver os seus projetos e constituir a sua empresa, com acesso a recursos logísticos e de comunicações; constituição de bolsas de formação e investigação em áreas económicas prioritárias para Chaves, e estabelecimento de parcerias e relações económicas privilegiadas com a Universidade e os Politécnicos, especialmente no domínio do turismo, termalismo e agricultura”.

Também como objetivo prioritário está “o apoio à demografia e as qualificações humanas”, cujas medidas passam pelo “apoio à fixação no concelho de jovens, concretizada na disponibilização de habitações, na zona histórica, na modalidade de arrendamento; estabelecimento de parcerias com a EPC e o Centro de Formação Profissional de Chaves, no domínio das qualificações, em particular dos mais seniores e dos desempregados de longa duração”.

Para Nuno Vaz, também é prioritário a “construção e requalificação de infraestruturas rodoviárias e equipamentos coletivos”, nomeadamente na “rede Viária municipal; construção de piscina coberta; construção de pavilhão multidesportivo, e a construção de espaço multiusos”.

Também importante para o candidato do PS, é a “construção e requalificação de recursos e respostas sociais no território concelhio”, que passa, entre outras medidas, por “apoiar a produção pecuária, através da comparticipação dos custos com a sanidade animal; assegurar a limpeza de caminhos agrícolas; assegurar acesso à saúde (consultas nos centros de saúde) garantindo o transporte às pessoas que não tenham condições de mobilidade”

José Flávio Videira

Para Nuno Vaz, “tudo isto é necessário para termos uma cidade e um concelho a liderar uma região”, deixando a promessa de que “podem contar comigo para, em conjunto, no respeito pelas diferenças, tomar as melhores decisões para Chaves, tendo sempre e só como critério último o interesse superior de Chaves”, concluiu.

Paulo Chaves

Share.

Deixe Comentário