No âmbito das celebrações das festas dos Santos Populares, entre os dias 12 e 24 de junho a ACISAT – Associação Empresarial do Alto Tâmega desenvolveu uma atividade denominada ‘Compras Populares’, de forma a dinamizar o comércio local. A primeira edição desta iniciativa foi um sucesso.

Foram 104 os estabelecimentos que aderiram à iniciativa ‘Compras Populares’, realizada pela primeira vez este ano, e que veio na sequência de uma atividade que culminou no passado dia 6 de maio, denominada ‘Compras de Primavera’, e que foi mais um sucesso.

Chaves não tem tradição na comemoração dos Santos Populares, contudo, são várias as atividades realizadas durante o mês de junho e que já estão enraizadas no costume flaviense. Desta forma, a ACISAT entendeu fazer parte de uma iniciativa já bem conhecida do povo flaviense, realizada em conjunto pela Junta de Freguesia de Santa Maria Maior e a Associação AMOChaves. “Entendemos, numa ação conjunta com essas duas entidades, participar, evidentemente também com a mais-valia de o comércio local aderir à situação, fazendo coincidir a atividade de comércio local com este calendário e com a realização dessas atividades e tentar fazer um programa conjunto e uma dinamização e animação conjunta que desse escala à situação”, explicou Jorge Paulo Santos, presidente da ACISAT.

O nome ‘Compras Populares’ resultou exatamente do tema Santos Populares, e para a realização desta atividade a Associação fez um trabalho de rua intensivo de forma a convidar todos os seus associados e não associados a juntarem-se a esta iniciativa.
“Estas atividades têm uma caraterística específica porque se destinam fundamentalmente ao comércio local do centro histórico ainda que obviamente a Associação não exclua nenhum dos seus associados, e, portanto, esteja disponível a receber essas inscrições. Também as tivemos fora do centro histórico e foram, naturalmente, muito bem-vindas”, sublinhou o presidente da Associação.

Uma vez que a iniciativa era temática, foi lançado aos lojistas o desafio de decoração das montras alusiva ao tema dos Santos Populares, tornando também, desta forma, o comércio mais atrativo para quem o visita. A ACISAT solicitou aos empresários das lojas aderentes que houvesse descontos especiais para os seus clientes. Associado a isto, as lojas aderentes e que pertencem a associados da ACISAT tinham ainda senhas que atribuíam aos clientes que tivessem crianças para que estas pudessem usufruir de descontos no carrossel montado no Largo do Arrabalde, e que já no Natal lá foi colocado também pela ACISAT, e que fez as delícias dos mais pequenos.

A decoração das ruas da cidade não foi esquecida, com a colocação de bandeiras que davam um colorido diferente à cidade: “A Associação teve o cuidado de decorar todas as ruas da cidade com as bandeirolas relacionadas com o tema”.
A animação de rua foi uma constante ao longo das duas semanas de atividade. A Escola de Dança Christine Veen colaborou nesta iniciativa com danças de rua. A cerimónia de encerramento, que decorreu no dia 24, consistiu numa largada de balões de hélio, uma vez que os balões de fogo, típicos das celebrações dos Santos Populares, estavam proibidos.

A ideia foi “manter uma dinâmica própria com o comércio local, cumprindo a responsabilidade de utilidade, promoção e dinâmica de comércio para os nossos associados e não associados”. A primeira edição desta atividade revelou-se um sucesso, com a adesão de mais de uma centena de lojas: “É muito gratificante evidentemente para a Associação. Por dois motivos: primeiro, porque o número é histórico e sem precedentes; segundo porque efetivamente fizemos um bom trabalho de rua, um contacto direto com associados, mas tivemos também adesões espontâneas, de vontade e de iniciativa individual em participar. E, portanto, 104 é um número que nos enche de orgulho e que, sem falsas modéstias, consideramos que está a gerar aqui uma onda e um movimento interessante de adesão e de credibilidade às atividades que estão a ser feitas, e, por isso, vamos continuar”, concluiu Jorge Paulo Santos.

Maura Teixeira

Share.

Deixe Comentário