Foi aprovado, por unanimidade, o Relatório de Gestão e Contas relativo ao ano de 2017 em sessão ordinária da Assembleia Municipal realizada, no passado dia 26 de abril, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Boticas.

No relatório distingue-se o facto de a Câmara de Boticas ter transitado de um saldo orçamental de 2 173 028,50€. De acordo com o município botiquense, “a sustentabilidade atingida é o reflexo do rigoroso controlo das despesas que o executivo camarário tem vindo a implementar no exercício das suas funções”.

Do relatório constam ainda a poupança corrente efetiva de 879 934,87€, a dívida bancária a médio e longo prazo de 842 273,44€, e ainda a dívida a curto prazo que, registada em dezembro de 2017, foi de valor zero, significando que a autarquia terminou esse mesmo ano sem dívidas a fornecedores.

O relatório destaca também o índice de autonomia da autarquia de 79%, significando que o recurso a crédito de terceiros tem uma dimensão reduzida; a taxa de execução das receitas correntes de 96,41% e as despesas correntes de 87,06%; as despesas de capital de 79,2%; os passivos financeiros que há quatro anos registam o valor zero; e ainda as Grandes Opções do Plano (GOP) que registaram uma taxa de execução a rondar os 82,57%, atingindo um valor total de 6.523.936,82€, dos quais 2.733.711,94€ dizem respeito ao Plano Plurianual de Investimentos e 3.790.244,88€ ao Plano de Atividades Municipal, tendo o coeficiente de execução relativo aos dois planos sido de 77% e de 87%, respetivamente.

No final da sessão ordinária, Fernando Queiroga, presidente da Câmara Municipal de Boticas, demonstrou a sua satisfação por estes números: “Temos tido uma gestão muito correta, transparente e concisa e é esse o motivo pelo qual estamos com uma boa saúde financeira, que convém salvaguardar. Estamos empenhados em continuar a dar o nosso melhor em prol do concelho”.

loading...
Share.

Deixe Comentário