O município de Chaves vai atribuir perto de 33 mil euros às três corporações dos bombeiros do concelho com vista a assegurar a constituição de Equipas de Intervenção do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais durante o período crítico de incêndios.

“O município de Chaves entende que também deve ter uma atitude de valorização e reconhecimento pelo trabalho destes bombeiros, que são voluntários, e que entenderam dar de si aos outros”, disse Nuno Vaz na cerimónia da assinatura do protocolo que decorreu na sexta-feira passada, dia 27 de julho, na Praça de Camões, em Chaves.

Este acordo, segundo o autarca, traduz o compromisso assumido pelo município no apoio financeiro às corporações dos bombeiros do concelho. A Câmara de Chaves decidiu, assim, atribuir a cada operacional o valor de 10€, por dia.

As novas Equipas de Intervenção do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF), que estarão integradas nas corporações dos Bombeiros Voluntários de Salvação Pública, Bombeiros Voluntários Flavienses (BVF) e Bombeiros Voluntários de Vidago serão constituídas por 39 bombeiros e estarão ativas durante o período crítico de ocorrência de incêndios, que decorre até final de setembro. O investimento total é de quase 33 mil euros.

No encontro, o presidente da Câmara de Chaves adiantou ainda que a autarquia já disponibilizou mais de 600 mil euros em ações de prevenção e limpeza, na constituição de duas equipas permanentes de bombeiros e também ao nível dos sapadores florestais.

Chaves é um concelho com 600 quilómetros de área, com 39 freguesias, sendo que algumas delas estão sinalizadas com elevado potencial de risco de incêndio.
“O que nós queremos dizer à população é que hoje nós estamos mais bem preparados do que no ano passado.

E isto significa que na lógica da prevenção foi feito um trabalho mais intenso” e foram também reforçados os meios e as equipas dedicadas ao combate aos incêndios, garantiu Nuno Vaz.
Presente na cerimónia, José Lima, comandante dos BVF, demonstrou-se satisfeito com a assinatura deste protocolo que na sua opinião vai motivar ainda mais “os homens e mulheres que integram o corpo de bombeiros”.

De acordo com o responsável, a época de incêndios está a decorrer de forma “muito calma”, com poucas ignições, fruto também das condições meteorológicas que se têm feito sentir nos últimos dias.

Para o comandante dos BVV este acordo chegou em boa hora porque vai permitir à corporação “ter mais alguma margem de manobra na constituição do DECIF durante a época de verão”.

“Como vocês sabem, as corporações são constituídas por voluntários, e nós dependemos sempre da sua disponibilidade. Este protocolo poderá permitir a esses elementos tirarem férias dos seus trabalhos para integrar o dispositivo e ganhar uma compensação extra”, referiu Bruno Henriques.

Na corporação da vila termal serão integradas duas equipas de intervenção do DECIF e uma Equipa de Apoio Logístico ao Combate (ELAC). Estas equipas agora formadas estarão disponíveis nos quartéis dos bombeiros 24 horas por dia.

Cátia Portela

 

loading...
Share.

Deixe Comentário