O flaviense Ivo Tavares sagrou-se no passado domingo vice-campeão nacional em salto em comprimento em pista ao ar livre, obtendo a marca de 7,55 metros, apenas atrás de Marco Chuva, campeão nacional com 7,99 metros.

O atleta ainda sub-23 da CSS São João Madeira esteve em destaque na prova que decorreu em Vagos, no distrito de Aveiro.

“Foi um bom resultado, tenho andado a fazer boas provas e já esperava que algo de bom acontecesse nesta prova, mas o mais importante é chegar a este tipo de provas e mostrar o que valemos, sem vacilar”, realçou Ivo Tavares.

Após o vice-campeonato em pista coberta, em fevereiro, também apenas atrás do atleta do Benfica, agora ao ar livre o transmontano voltou a mostrar o bom momento que atravessa, apesar da forte concorrência.

“Estavam lá os melhores de Portugal da atualidade. Entrei na prova um bocado mal, onde nos dois primeiros saltos estava lento, sabia que podia fazer bem melhor, em conversa com o treinador fizemos uns ajustes e nos seguintes saltos as coisas já correram melhor”, explicou.
Para o flaviense este segundo lugar é o confirmar que os resultados “não são algo que advêm da sorte”.

Ainda à procura dos mínimos para o Europeu

Apesar de já ter feito esta época quatro saltos acima dos 7,50 metros, que garantem os mínimos para os europeus sub-23 de pista coberta, devido ao vento que se registava na altura estes não foram considerados válidos para esse registo.

“No domingo fiz dois saltos acima dos mínimos para os europeus, mas como o vento estava a mais de 2,0m/s a marca não conta como mínimos”, lembrou Ivo Tavares.

O mês é cheio de provas para o atleta transmontano, mas a próxima decisiva é a 1 e 2 de julho, em Pombal, no Campeonato de Portugal de Sub-23: “esta é a última prova que tenho para fazer os mínimos para ir aos europeus”.

Diogo Caldas

Share.

1 comentário

Deixe Comentário