SÁBADO, 23 DE JUNHO, ÀS 21H30 NO LARGO GENERAL SILVEIRA
O Grupo 36 de Chaves da Amnistia Internacional organiza uma ação de rua de sensibilização da comunidade local para a causa dos refugiados. Usando a imagem da milenar Ponte de Trajano como metáfora de paz e união de culturas, a performance integra teatro, música dança e poesia e envolve a colaboração do Teatro Experimental Flaviense (TEF), da produtora INDIEROR, da Universidade Sénior do Rotary Club de Chaves, do Grupo Pontas Soltas e da Escola de Dança Ent’Artes e o apoio logístico e institucional da Câmara Municipal de Chaves e da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior.

A Amnistia Internacional entende que na “aldeia global” do século XXI as fronteiras territoriais não devem constituir barreiras para a defesa e garantia dos direitos humanos e que só com o derrube de barreiras culturais os mesmos serão efetivamente exercidos em toda a sua plenitude. Os migrantes-refugiados constituem um dos grupos sociais mais suscetíveis a violações de direitos humanos.
Por isso, e assinalando o Dia Mundial do Refugiado (20 de junho) o Grupo 36 Chaves da Amnistia Internacional, em colaboração e parceria com outras entidades da sociedade civil flaviense, realiza a Ação de Rua “EU ACOLHO” que é, em si mesma, uma campanha global da Amnistia Internacional.
Esta dinâmica de sensibilização, arrojada e menos habitual, integrará várias artes cénicas: teatro, dança, música; e também poesia. O facto de a mesma acontecer em espaço aberto (ao ar livre) é para nós sinónimo da abertura que a Europa (berço da democracia) deve ter nesta matéria e, para que se consiga maior alcance e visibilidade pública.

loading...
Share.

Deixe Comentário