O AKI anunciu a abertura na cidade de Chaves da sua 35ª loja em Portugal, a primeira a abrir no distrito de Vila Real, e procura 22 colaboradores para integrarem a nova equipa desta loja.
Em entrevista, Elisabete Coelho, diretora de Loja – AKI Chaves, aborda os objetivos da abertura do AKI, em Chaves, e da filosofia desta empresa que, de momento, está presente em 16 dos 20 distritos do país, tem 1265 colaboradores e mais de 25 mil artigos de bricolage, casa e jardim.

A Voz de Chaves: Está prevista para o segundo semestre deste ano a abertura do AKI Chaves, a 35ª a nível nacional e a primeira no distrito de Vila Real. Algum motivo especial para abrir em Chaves e não na “capital” do distrito?

Elisabete Coelho: O AKI tem objetivos ambiciosos de crescimento nos próximos anos. Até 2020 queremos duplicar o nosso parque de lojas, passando das atuais 34 para 64. O objetivo é chegarmos a todos os clientes que habitem em zonas de influência na ordem dos 20 mil habitantes, levando até eles o nosso conceito de proximidade. Nesta estratégia, a cidade de Chaves surge como uma escolha natural e totalmente em linha com os nossos objetivos. A oportunidade surgiu e quisemos agarrá-la. Quanto a Vila Real é uma cidade que estamos a analisar em grande detalhe também.

A proximidade com Espanha teve influência na abertura do AKI Chaves?

A principal influência na abertura do AKI, em Chaves, foram os habitantes da cidade e das zonas envolventes. O nosso comércio é de proximidade, queremos ser vizinhos dos nossos clientes. O AKI quer distinguir-se pela proximidade não só em termos de atendimento, como de produto/soluções que disponibilizamos nas nossas lojas. Procuramos trazer para uma empresa de retalho especializado as características de proximidade tão características do designado comércio tradicional. Se formos visitados por clientes espanhóis ficaremos muito satisfeitos porque o nosso conceito chegará também ao “outro lado da fronteira”, mas a nossa prioridade e foco é a cidade de Chaves e zonas envolventes.

Elisabete Coelho

A maioria das lojas AKI situam-se no litoral. Estamos a assistir a uma política empresarial do AKI para investir no Interior do país?

Estamos a assistir ao caminho de forte expansão que iniciámos há dois anos e que nos levará a ter o dobro das lojas que temos atualmente. No interior do país encontramos muitas cidades onde o AKI não se encontra e que, em breve, poderão ter o AKI perto de si. Investir no interior é uma realidade concreta. Esperamos assim contribuir também para uma maior dinâmica destas zonas do país, seja por disponibilizarmos aos clientes os nossos produtos para as suas mais diversas atividades, seja também porque desta forma contribuímos para a criação de emprego.

Qual será o impacto do AKI Chaves na criação de emprego?

A loja de Chaves irá contar com 22 colaboradores que pretendemos que sejam, na sua esmagadora maioria, da zona. Neste momento estamos em processo de recrutamento, podendo as candidaturas ser efetuadas diretamente no nosso site www.aki.pt, na secção de recrutamento como candidatura espontânea. Procuramos colaboradores para as mais diversas funções de loja, desde Chefes de Departamento até vendedores. Aos potenciais candidatos podemos dizer, numa frase, que pretendemos ser uma empresa de pessoas, para pessoas. Os nossos processos de recrutamento, para além de considerarem os aspetos técnicos necessários para o exercício de determinada função, têm sempre em conta se o candidato é uma pessoa de pessoas. Trata-se de algo intrínseco à nossa própria cultura e, também, indispensável para podermos reforçar o conceito de proximidade que pretendemos que nos diferencie.

Que investimento vai ser feito nesta nova loja de Chaves?

A nova loja AKI de Chaves terá uma área total de 2.452 m2 e um investimento estimado de 2,6 milhões de euros. Situada na freguesia de União de Freguesias de Madalena e Samaiões.

Do ponto de vista comercial e empresarial, que mais valias poderá trazer a AKI Chaves a esta região do interior?

Queremos estar próximos dos nossos clientes e ser reconhecidos como líderes na confiança na área de bricolage, casa e jardim. Trazemos a Chaves um conceito muito próprio e diferencial e que, nas outras cidades onde já estamos, tem sido muito bem acolhido. Designamos como “ingredientes da confiança”, isto é: uma relação próxima entre os clientes e os colaboradores, dentro e fora da loja, sendo conhecidos e reconhecidos; o aconselhamento especializado, por exemplo, através das nossas bricoaulas todas as semanas; a oferta diversificada e de qualidade; o processo de compra simples e fácil; e o preço de confiança. Em Chaves vão-se encontrar produtos e serviços desenvolvidos com um foco verdadeiramente único no cliente, com produtos adequados às próprias necessidades da zona. Acreditamos que vamos surpreender pela positiva e estamos muito expectantes com esta abertura.

Paulo Chaves

Share.

2 comentários

    • Boa tarde! Deverá fazer através do site da empresa em http://www.aki.pt “na secção de recrutamento como candidatura espontânea”. A empresa procura “colaboradores para as mais diversas funções de loja, desde Chefes de Departamento até vendedores”. Poderá encontrar esta informação no artigo. Espero ter ajudado 🙂

Deixe Comentário